Celebram-se em maio os 70 anos da Conferência de Haia, momento fundador do Movimento Europeu e muitos são os motivos de satisfação para o conjunto dos europeus e, em particular, para os que fazem parte da atual União Europeia.

Continuamos, é certo, a enfrentar novos desafios nas áreas da consolidação da União económica e Monetária, da segurança e defesa emigração, integração cultural e criação de novas perspetivas financeiras, baseadas ou não na criação de impostos europeus, ou, porque não, numa verdadeira União orçamental.

Mas, como acontece em todos os grandes empreendimentos humanos, o caminho até agora seguido não tem sido isento de controvérsia, discussão e mesmo, em muitos locais e comunidades, de forte contestação política, social, económica e cultural.

Sabemos também que é neste contexto de encruzilhada, de aparente ou manifesta divisão, sobre o caminho a seguir, que a Comissão acaba de lançar o Livro Branco sobre o futuro da Europa.

O propósito, mais uma vez, é dar a palavra aos europeus para escolherem cinco cenários possíveis para o seu futuro: desde a opção de continuar na mesma até à regressão ao modelo inicial de mercado único, passando pelo aprofundamento e fortalecimento dos laços políticos e jurídicos, a caminho de uma verdadeira União Política.

Estamos, assim, colocados perante um debate crucial, não só para o futuro da Europa democrática, livre, pacífica e solidária, como também e sobretudo para o nosso futuro como portugueses.

Naturalmente, o Conselho Português do Movimento Europeu com todas as suas limitações, mas também com o seu otimismo e empenho vai, ao longo dos próximos anos, continuar a participar no centro deste debate, bem como acompanhar as suas consequências, quer em Portugal quer na Europa.

Para nós, Movimento Europeu em Portugal, só uma Europa unida no essencial, forte nos seus valores e fundamentos, ainda que diversa e plural no quotidiano de cada um dos seus membros, assegurará e consolidará o sonho dos seus fundadores que se reuniram, faz agora 70 anos em Haia.


Os nossos objetivos para estes próximos quatro anos são os de sempre:

 

  1. Cooperar nos trabalhos do Movimento Europeu Internacional, dando a conhecer os seus fins, programas, resoluções e recomendações;

 

  1. Promover a colaboração, nas suas atividades, de forças políticas, económicas, culturais e sociais, bem como de todas as personalidades interessadas no Movimento Europeu Internacional;

 

  1. Organizar contactos e intercâmbios de ideias e experiências, promover e participar em conferências, colóquios, congressos e outras atividades idênticas;

 

  1. Promover a realização de estudos e a edição de publicações sobre temas relacionados com a integração europeia.

Para, propomo-nos continuar nos próximos quatro anos a caminhar, e sempre que possível, melhorando as seguintes áreas:

 

ORGANIZAÇÃO INTERNA

Distribuição expressa no início de cada ano de pelouros/funções/iniciativas pelos membros da Direção

Desenvolvimento de projeto de financiamento que permita a contratação de um executivo (jovem universitário, de área de formação relevante, com amplas competências digitais e de comunicação), a meio-tempo, para gestão dos meios de comunicação e apoio à Direção.

 

COMUNICAÇÃO

Renovação do website e facebook em termos de conteúdos e dinamização permanente dos mesmos:

Disponibilização de principais documentos da construção europeia

Divulgação de trabalhos académicos sobre temas europeus

Divulgação notícias relevantes da construção europeia

Week media report – publicitação semanal (ou quinzenal) de peças escritas por membros do ME na imprensa escrita sobre temas europeus

 

PROMOÇÃO DO CPME E ENTRADA DE NOVOS MEMBROS

Maior presença, em articulação com associações e núcleos de estudantes, nas faculdades (sobretudo nas referentes a temas mais conexos – direito, economias, ciência política e relações internacionais):

Realização de uma sessão de apresentação do ME em cada uma, com ritmo bienal ou trienal, em articulação com players locais, promovendo debates e sessões de angariação de novos membros.

Publicação digital de trabalhos académicos sobre temas europeus (dissertações aprovadas; eventualmente também trabalhos de cadeiras específicas, mas neste caso com requisito de nota igual ou superior a 16 valores).

 

Em suma, queremos:

 

  • Comemorar os 70 Anos da criação do Movimento Europeu

 

 

Aproveitar o ensejo dos 70 anos da Conferência de Haia para um balanço sobre o processo de construção europeia e os respetivos cenários prospetivos.

 

 

  • Reforçar e diversificar o debate sobre a Europa

 

 

Numa época de desafios, internos e externos, cumpre promover um aprofundado debate sobre as grandes questões europeias da atualidade: a integridade da União, a unidade política, a governação económica, as migrações, a segurança e a cidadania europeia.

 

 

  • Reforçar a presença do CPME e da defesa dos valores europeus

 

 

Fortalecer a institucionalização do movimento e granjear novos membros e públicos, designadamente incrementando a intergeracionalidade.

 

 

  • Descentralizar a atividade do CPME

 

 

Promover iniciativas em diferentes localidades de norte a sul do país.

 

 

  • Ciclos de Debates

 

 

Programação de ciclos de debates, que se prolongarão por todo o triénio, sobre temas de interesse europeu. Para além dos temas habituais da construção política e governação económica, privilegiar-se-ão os seguintes temas: geoestratégia, defesa, proteção civil, cibersegurança, ambiente, religião/cultura, brexit e o regresso dos nacionalismos.

 

 

  • Comunicação

 

 

Reforço dos canais de comunicação interna e externa e respetivos conteúdos, designadamente canais digitais (website, facebook, etc.). Criação de um weekly media report com base na presença dos membros na imprensa escrita.

 

 

  • Comemorações do Dia da Europa

 

Integração em eventos promovidos pelas entidades oficiais.

 

 

  • Prémio

 

Instituição de um prémio destinado a reconhecer e galardoar o mérito de trabalhos dedicados a temas europeus, a ser entregue em sessão pública solene.

 

INICIATIVAS ASSOCIATIVAS

 

 

  • Membros

 

Contínuo esforço no sentido de promover o incremento do número de membros.

 

 

  • Sede

 

Contínuo esforço, designadamente através de contatos com autarquias e instituições, no sentido de obtenção de sede/espaço de trabalho para o CPME, fator essencial para o processo de ‘institucionalização’ e afirmação do CPME.

 

INICIATIVAS ESTATUTÁRIAS

 

 

  • Assembleia Geral

 

Reunião, pelo menos, da reunião ordinária anual da Assembleia Geral, para cumprimento das respetivas atribuições estatutárias de cariz anual.

 

 

  • Conselho Superior

 

 

Realização, pelo menos, das duas reuniões ordinárias do Conselho Superior, para reflexão e pronúncia sobre a orientação estratégica do CPME.